Quando acaba?

Tempo de leitura: 3 minutos

Estamos rodados de insensibilidade!

Você já leu aquela frase famosa que fala sobre o não julgamento pois não sabemos o caminho que cada um percorreu?

Pois é, como é difícil para as pessoas respeitarem as escolhas dos outros e como é fácil julgar.

Recentemente estava no vestiário da academia me arrumando e não pude deixar de ouvir uma conversa que acontecia ao meu lado:

-Tu viu que fulaninho terminou com fulaninha e já está com outra?

Depois dessa frase fui pra dentro dos meus pensamento e comecei a conversar comigo mesma, a inspiração para este texto.

Eu mesma, já fui alvo de um comentário cruel desses vindo de alguém muito próximo a mim.

Falta, a maioria das pessoas, a empatia, o se colocar no lugar do outro.

Fiquei pensando na história da academia e lembrando na minha cabeça dos fracassos amorosos que já tive na minha vida.

Um relacionamento não acaba no dia em que os dois colocam um ponto final.

Acabou muito antes de qualquer um ter coragem de aceitar. Acabou muito antes de qualquer percepção do fim.

Quando começou na cabeça a surgir a perguntinha: Será que estou feliz? Será que é ela(ele)? Quando ficamos no carro um pouco mais antes de voltar pra casa.

Quantas noites de choro após brigas? Quanto desgaste? Quantas mágoas?

Antes de um relacionamento chegar ao fim para a sociedade ele já teve muita indiferença. Muitas conversas evitadas. Muitos olhares virados…muita solidão.

O carinho, o afeto, o respeito passaram muito longe dessas pessoas há muito tempo. O sexo virou chatice ou inexistência. Tudo ficou apático.

Muitos casais ainda estão resistindo após grandes traumas e traições e só depois de muito tentar resolvem colocar um fim.

Você, talvez, que está lendo isso, se pergunta, o que estou fazendo e ainda nem percebeu que esse relacionamento de fachada acabou faz tempo e vocês vivem como dois estranhos dentro do mesmo lar.

Gostaria de dizer pra aquelas meninas da academia ou pra qualquer um que julga…ou pra quem está passando por isso nesse momento, não acabou naquele dia oficial.

Acabou muito antes. Lá na primeira ligação ignorada. Talvez na primeira olhada no mar, para ver outros peixes. Na primeira indiferença. Eles só estavam, inutilmente, tentando ou pior, coisa que já aconteceu comigo, fingindo pra eles mesmos que estava tudo bem. Que era só uma fase e que iria passar.

Sobre esse assunto, e sobre qualquer outro, lembre sempre que nós não sabemos o caminho do outro. Quantas dores, quantas estradas sombrias e quanto aquela pessoa viveu.

Quem vê de fora só vê o que quer e o que projeta dele mesmo no outro.

Pode até ser que o cara terminou com uma e logo estava com outra mas isso não significa que ele seja um cafajeste que estava traindo ou que não sentia nada pela ex, só significa que ele resolveu tentar novamente e quem está fora dessa história deveria, por respeito aos outros, se manter de boca fechada e cuidar da sua vida.

Será que está tão perfeita assim pra sair apontando dedos?

Te garanto, já senti na pele, quem é apontado sofre.

Nos colocar no lugar dos outros deveria ser nosso lema. Paz, amor e empatia para todos nós!

Nos vemos na próxima. Beijos no coração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *