Na tempestade!

Tempo de leitura: 2 minutos

As mensagens de otimismo lotam nossa timeline, nossos grupos, nossos e-mails.

Todo mundo disposto a compartilhar palavras de força, de apoio e de foco.

Eu mesma faço muito isso nas minhas redes sociais e junto aos meus clientes.

Só que hoje quero conversar um pouco contigo sobre o outro lado dessa moeda.

Sou uma pessoa extremamente otimista, até demais, e sempre procuro ver o lado bom das coisas.

Mas vou te contar uma coisa…na hora da tempestade isso é muito difícil…é quase desumano…

Eu sei que nessas horas deveríamos ter a fé e a esperança e acreditar que as coisas não são tão ruins e que óbvio tudo vai passar, sempre acaba, não é?

Mas no terremoto, meu amigo!! Isso é impossível!

Acredito que isso também faz parte, nós precisamos ter um pouco de compaixão conosco e não exigir uma positividade quando tudo que queremos é gritar, fugir, sumir, é permitido fraquejar, é permitido achar que não tem caminho, isso também faz parte!

No momento desesperador, na hora da dor, na hora que o bicho pega precisamos nos perdoar por não sermos assim tão positivos.

Sejamos amorosos com quem somos e isso é absolutamente natural.

Claro, que a negatividade não deve ser o carro chefe da nossa existência, precisamos buscar, sim, rotas alternativas e buscar pensar no melhor.

Só que nem sempre conseguimos e isso também está certo, está tudo bem!

Quando o nevoeiro passar podemos buscar a luz e aceitar que no momento das trevas podemos buscar ajuda e encontrar formas de passar por isso da maneira possível.

Já me senti, muitas vezes, no olho do furacão, sem saída, sem vontade de continuar. Sabe o que mais me marcou?

Foi permitir que as sombras, que a dor viesse à tona. Beijei a escuridão e só depois disso pude olhar para ela e dizer “deu”.

E por isso, acredito, pude levantar com força e usar a experiência como aprendizado e não fingir que estava tudo bem.

“Não há despertar de consciência sem dor. As pessoas farão de tudo, chegando aos limites do absurdo para evitar enfrentar a sua própria alma. Ninguém se torna iluminado por imaginar figuras de luz, mas sim por tornar consciente a escuridão.” Carl Jung

Se está doendo, difícil, não sabe como encarar a realidade, permitir sentir isso, na minha visão é o caminho para mudar isso.

Fingir que tudo está bem não nos leva a cura.

Pelo menos nunca me levou. Somente nos momentos em que resolvi encarar as dores cara a cara que tudo pode começar a cicatrizar.

Vivemos um mundo de falsidades, de coisas artificiais não seja artificial com você, não vale a pena. Sejamos verdadeiros.

Que minhas palavras possam acrescentar algo na sua jornada!

Beijos de luz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *